CURSO DE REPARO EM CENTRAL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA - ECU

CURSO DE REPARO EM CENTRAL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA - ECU

Artigos

Como funciona o Sensor de Detonação

Detonação é um dos piores problemas que um motor pode vir a ter(saiba mais sobre ela aqui.), silenciosamente ela danifica o motor até que em casos extremos este venha a parar.
O motorista menos atento pode não perceber, mas este fenômeno não passa em vão pelo sistema de injeção graças ao Sensor de Detonação.

Knock Sensor como é chamado em inglês, é um sensor do tipo piezo-elétrico, estes sensores são sensíveis à vibrações. Quando o motor está detonando as vibrações provenientes das reflexões de onda dentro da câmara de combustão fazem vibrar o elemento piezo-elétrico do sensor gerando um tensão elétrica no sensor que é enviada para ECU.

O sensor é calibrado para trabalhar em um faixa determinada de frequência, entre 5 e 20KHz, justamente a faixa dos ruídos de detonação.

Complexo e sensível, todo o circuito deste sensor possui uma blindagem especial contra interferências externas e do próprio sistema elétrico e eletrônico do motor.

Na maioria dos caso o sensor está aparafusado no bloco do motor, por ser sensível, possui um torque específico para tal, geralmente 2mkgf.

Controle de detonação:

Detonação sempre vai existir, de uma certa forma o ideal é trabalhar em cima deste fator para evita-lo ao máximo, apenas atrasando o ponto de ignição consegue-se evitar a detonação, mas por outro lado temos perca desempenho, aumento no consumo de combustível e emissão de poluentes. Então a ECU passa a realizar um controle em malha-fechada da detonação chamado, Regulagem de Detonação.

Objetivando manter o motor funcionando no limite de detonação, a ECU toma como base informações provenientes dos principais sensores do sistema, rotação, pms, fase e temperatura. E partindo do sinal do sensor de detonação, a ECU o interpreta com um sinal de combustão. Este sinal será comparado a um parâmetro de combustão sem detonação, com isso é feito o reconhecimento do sinal como sendo ou não detonação, e efetuado o atraso no respectivo cilindro até que não ocorra mais o fenômeno.

Então a ECU inverte o processo, passa a adiantar progressivamente o ponto até que este volte ao normal.

Entenda que o sensor de detonação está sempre captando vibrações de dentro da câmara, logo muitas dessas vibrações serão parecidas, pois o motor está funcionando, há constantes combustões através da centelha da vela de ignição. Conclui-se que, o sensor informa não apenas se há ou não detonação dentro do câmara, ele informa também a curva de pressão dentro dela.

Todo esse controle feito sobre o funcionamento do motor é realizado em cada cilindro do motor. A ECU dispões de todos os mapas e parâmetros para cada operação do motor gravadas em sua memória permanente(saiba qual aqui.).

Controlar a detonação também torna possível a utilização de diferentes tipos de combustíveis com ótima performance em qualquer regime de funcionamento.

A memória de avaria registra as informações sobre o funcionamento incorreto do motor, bem como em qual cilindro ocorreu detonação e quantas vezes.

Teste do Sensor de Detonação:

O teste do sensor de detonação pode ser feito pelo Multímetro, mas para isso você deve ter o manual do fabricante para verificar se os sinais estão corretos. Outro teste muito comum é o feito com o Osciloscópio, neste o sinal do sensor e sincronizado com os sensores de fase, pms e rotação, com essa ferramenta podemos saber em qual cilindro ocorreu e detonação.

Fonte: carrosinfoco.com.br